Ambidestria Corporativa: Gestão, Propriedade e Conselho

Luís Rasquilha

CEO da Inova, professor universitário, advisory board member, autor e consultor.

A visão tradicional da ambidestria organizacional gira em torno de uma separação estrutural de iniciativas e atividades (ambidestria estrutural). A noção de ambidestria contextual, que se manifesta num nível individual, representa um processo complementar.

Ambidestria: Estrutural vs. Contextual

Três stakeholders, no final do dia, têm a responsabilidade maior de garantir o que chamamos de “Ambidestria Corporativa” – A Gestão, a Propriedade e o Conselho.

Nem sempre estas três entidades estão alinhadas neste sentido. Às vezes até estão alinhadas com relação à importância, mas não do timming em que os movimentos precisam ser feitos. Conflitos de agenda são invitáveis quando nem todos têm a convicção de que a Ambidestria é necessária. O elo de ligação entre os interesses desses três pilares deve ser um só – a longevidade.

1) Estes três stakeholders devem trilhar juntos uma jornada de educação no tema de Ambidestria com foco em Contexto e Change Management, Metodologias e Ferramentas.

 

2) Cada um, individualmente, deve trilhar também a sua jornada pessoal de desenvolvimento, através do que chamamos Coaching de Ambidestria. O Coaching de Ambidestria tem como principal objetivo fazer uma avaliação individual para identificar a atacar modelos mentais que possam prejudicar a sua jornada pessoal em Ambidestria. Além disso, deve identificar Gaps de competências, principalmente comportamentais, que precisam ser trabalhados. Através de um Instrumento de Assessment (utilizamos e recomendamos o IAG – Índice de Análise de Gestão), identifica-se o nível em que o avaliado se encontra, em cada fator de um conjunto, que contempla a gama dos fatores gerenciais, capazes de impulsioná-lo na direção do objetivo específico para o desenvolvimento da Ambidestria.

O objetivo final do processo de coaching é dar suporte e preparar o indivíduo para enfrentar essa nova abordagem estratégica para trabalhar, simultaneamente, aliando as funções de Exploitation – (Construção de capacidades e recursos para gerenciar o presente) e Exploration – (Construção de capacidades e recursos para gerir o futuro) da sua organização.

 

A ambidestria é um novo modelo de atuação que suporta o sucesso empresarial e que coloca frente a frente contextos aparentemente antagónicos, mas sobretudo complementares.

Não é fácil definir e implementar uma jornada de ambidestria mas ela é a distância que separa uma organização do sucesso e da longevidade ou do insucesso e da falência.